O diretor de fotografia John Schwartzman e o ator Sam Neill falaram sobre 'Jurassic World'!

Em entrevista ao 'Kodak OnFilm', o diretor de fotografia de Jurassic World, John Schwartzman, falou sobre a escolha do tipo de câmeras que serão utilizadas no filme e explicou o porquê de filmarem no método "antigo" e não no "digital". Já o astro do primeiro e terceiro filme, Sam Neill, em uma entrevista ao jornal neo-zelandês 'The New Zealand Herald', confirmou (reconfirmou, na verdade) que nem ele, nem Goldblum e nem Dern retornarão para este filme.


O diretor de fotografia John Schwartzman é conhecido por filmes como A Rocha (1996), Armaggedon (1998), Pearl Harbor (2001), Seabiscuit (2003) e O Espetacular Homem-Aranha (2012). Por Seabiscuit, ele foi indicado ao Oscar de 1994 e a outros vários prêmios. Veja a entrevista que o diretor deu:
KODAK: Jurassic World, seu próximo filme, será filmado em película - partes em 35 mm e partes em 65 mm, certo? Como foi o processo de pensamento por trás dessa decisão? 
SCHWARTZMAN: A razão para isso é simples: Steven Spielberg é que filma o longa. Também baseamos a decisão na ideia de que os outros filmes Jurassic foram filmados em película e que estes são filmes que têm muitas cenas exteriores (dia). Nessas situações, nada supera o filme em termos de faixa dinâmica. Não há uma câmera digital do mundo que pode lidar com a diferença entre 20.000 'footcandles' na luz e seis 'footcandles' na sombra, especialmente quando você está caminhando por uma selva. 
E as porções em 65 milímetros? 
A decisão para esse formato grande, surgiu durante a nossa busca por locações. Quando nós trouxemos o pessoal dos efeitos especiais que nós estávamos indo filmar o filme, a reação deles foi 'Graças a Deus. Obrigado por filmar esse filme - Nós o amamos.' Isso é uma coisa agradável de se ouvir. Eles estavam falando sobre formatos maiores, então eu sugeri o 65mm. Eu sabia que íamos precisar fazer grandes movimentos radicais e levar uma sensação de profundidade ao campo. Eu sabia que nós poderíamos começar com as câmeras da Panavision. Todos na Panavision e na Kodak estavam entusiasmados com isso. Além disso, eu sempre quis filmar em grande formato. Quando as pessoas verem o filme, eu quero que elas digam, 'Uau!' Eu quero que eles vejam o que um filme pode realmente fazer.
É uma ótima notícia o filme ser filmado em um formato maior, já que com a utilização de películas 65mm no filme, é provável que teremos algumas cenas do filme em IMAX (assim como em Batman: O Cavaleiro das Trevas, Godzilla, e tantos outros filmes).
E não é só Trevorrow que optou por não filmar no sistema digital. J.J. Abrams em Star Wars, por exemplo, também utilizará o sistema antigo.


Em outra entrevista, desta vez de Sam Neill ao 'NZ Herald', o ator, quando perguntado se ele, Jeff Goldblum ou Laura Dern retornariam para o quarto filme da série, Jurassic World, disse:
Nenhum de nós está nele. Ele é um reboot total. E não foi uma escolha nossa (sobre se nós queríamos ou não estar nele). Nós não tivemos chance. Era algo fora das nossas mãos.
Particularmente, eu acho bom o não-retorno de ambos os três. Eu acredito mais na história criada por Colin Trevorrow sem Grant, Malcolm ou Sattler (pelo menos por agora). Acho que o Pratt, a Howard, o Irrfan, o Wong, e todos os outros vão dar conta do recado. Não acho que nós sentiremos falta do elenco original (espero).

Fiquem atentos nas notícias de Jurassic World aqui, no Mundo Jurássico BRCurtam nossa página no Facebook, sigam-nos no Twitter, nos adicione no Google+ e se inscrevam no nosso canal no YouTube! 

Fonte da notícia: Kodak OnFilmNZ Herald.
Compartilhar no Google Plus

Sobre os autores


Victor Nunes é o fundador da rede Mundo Jurássico BR. Com 18 anos de idade, reside em Guarulhos/SP, cursa Engenharia de Produção pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e é fã de Jurassic Park desde seus 8 anos, além de curtir outras produções de cinema e televisão da cultura pop. | Facebook | Twitter

Bruno Fernando é editor do Mundo Jurássico BR desde junho de 2015. Apaixonado pelo clássico de Spielberg desde criança, conheceu o romance original de Michael Crichton na adolescência e hoje, com 18 anos, se considera um fã de cultura pop e futuro jornalista.
    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

0 comentários :

Postar um comentário