Afinal, os rugidos dos dinossauros de Jurassic Park são reais?

Gary Rydstrom é o engenheiro de som responsável pelos estrondosos barulhos emitidos pelas históricas criaturas em toda a franquia Jurassic Park. Conciliando vozes de animais (a comunicação entre os raptors são, na verdade, áudio retirado de tartarugas transando no Marine World!), o cara trouxe ainda mais inovação ao filme, que já era maravilhoso com os animatrônicos. Mas será que o que está na tela realmente foi ouvido pelo Planeta Terra há milhões de anos atrás?

Os rugidos dos dinossauros são uma fabricação hollywoodiana, com paleontólogos às escuras explicando como seriam os sons emitidos pelos animais.

Lindsey Zanno, professora-auxiliar de paleontologia na Universidade de Carolina do Norte, disse ao LiveScience que é muito difícil estudar os sons de um dinossauro. 

Aves e crocodilos - descendentes contemporâneos dos dinossauros - vocalizam de maneiras muito diferentes. Acredita-se que o canto dos pássaros tenha base na fala humana. Eles fazem barulho com um órgão vocal na traqueia chamado syrinix, que vibra em frequências diferentes ao mesmo tempo. 

Crocodilos, por outro lado, rosnam apesar de não terem cordas vocais. Eles podem fazer esses burburinhos antes mesmo de nascerem, o que foi descoberto por pesquisadores antigos. 

Terry Gates, paleontólogo do Museu de Ciência Natural de Carolina do Norte, disse ao website: "Em um dado momento a evolução era necessária, e nós não sabemos se ele [o som] evoluiu apenas ao longo da linha de aves, ou se evoluiu antes dos pássaros."


Nenhuma evidência direta

Zanno explicou: "Vertebrados em geral vocaliza com tecidos moles e tecidos moles raramente se preservam no fóssil.

Os dinossauros bico-de-pato, popularmente conhecidos como Hadrossauros.

Alguns fósseis ajudam a fornecer evidências dos bramidos produzidos - dinossauros bico-de-pato tinham ocas anexadas para suas passagens nasais, o que poderia produzir um som específico. 

A criatura tinha uma longa crista tubular que ia da cabeça ao nariz: "Você está olhando para cerca de sete septos de tubagem antes da molécula de ar entrar realmente na cabeça", disse Gates, adicionando que isso possa ter produzido um som "parecido com um trombone". 

No entanto, Mark Norell, coordenador de paleontologia no Museu Americano de História Natural, em Nova York, disse que nunca iremos saber como eram realmente os sons dos dinossauros. "Acho que podemos dizer com segurança que eles faziam barulhos, mas não podemos dizer como soavam.

Ele acrescentou que todo o trabalho na vocalização de dinossauros é especulativo, já que não há como saber de que forma o tecido mole funcionava, mas admitiu que os sons inventados em Jurassic World são melhores do que nada. 

"Se eles baseassem-se apenas no que sabemos [sobre] dinossauros, seria um filme muito chato. Estamos aprendendo mais o tempo todo, mas não podemos reconstruir esses animais e entendê-los de uma forma que nós compreendemos os de hoje.

Obviamente, os rugidos do filme partiram também da especulação e não apenas da imaginação. Um exemplo disso são os grandes carnívoros que, apesar de não sabermos oficialmente e dada a época, é de supor que eles rugiam alto, como grandes trovões, especialmente para ameaçar rivais ou espantar predadores menores.

Jurassic World - O Mundo dos Dinossauros abre suas portas no dia 11 de Junho de 2015!

Matéria trazida pelo: IBTimes.
Tradução: Mundo Jurássico BR.
Compartilhar no Google Plus

Sobre os autores


Victor Nunes é o fundador da rede Mundo Jurássico BR. Com 18 anos de idade, reside em Guarulhos/SP, cursa Engenharia de Produção pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e é fã de Jurassic Park desde seus 8 anos, além de curtir outras produções de cinema e televisão da cultura pop. | Facebook | Twitter

Bruno Fernando é editor do Mundo Jurássico BR desde junho de 2015. Apaixonado pelo clássico de Spielberg desde criança, conheceu o romance original de Michael Crichton na adolescência e hoje, com 18 anos, se considera um fã de cultura pop e futuro jornalista.
    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

0 comentários :

Postar um comentário