"Jurassic World 2": Colin Trevorrow fala sobre o futuro da franquia!



Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros [o subtítulo caiu bem] dominou a bilheteria de todo o mundo no último fim de semana, arrecadando US$ 524 milhões ao redor do planeta, se tornando assim a maior abertura da história do cinema. Uma outra notícia que surgiu recentemente é a de Chris Pratt já tem contrato assinado para "38 filmes" [sim, essas são palavras dele, hahaha]. Essas duas notícias, somadas à notícia anterior de que a sequência de JW já estava em desenvolvimento nos bastidores da Universal, nos levam a crer que, com toda certeza, teremos Jurassic World 2 [vamos chamá-lo assim enquanto o título oficial não for divulgado].

Tendo assistido Jurassic World, vocês provavelmente perceberam as deixas para a sequência. Apesar do diretor Colin Trevorrow já ter dito que não retornará à cadeira de diretor, ele estará muito envolvido com as sequências. Em uma entrevista divulgada recentemente, Trevorrow falou sobre como ele permanecerá envolvido com a franquia, quem dirigirá o segundo filme, e como ele lidou com a criação de um tema e de uma história que se estendesse para sequências futuras de Jurassic World.


Em Jurassic World, possíveis temas para próximos filmes surgem quando é revelado que o Dr. Henry Wu (B.D. Wong) tem trabalhado pelas costas de Simon Masrani (Irrfan Khan), criando híbridos geneticamente modificados para um projeto secreto da InGen.

Enquanto Hoskins (Vincent D’Onofrio) acaba por não sair da ilha vivo, nós vemos que Wu consegue sair em um helicóptero com sua pesquisa de híbridos secretos a salvo. Antes da morte de Hoskins, é revelado o plano da InGen de usar os novos dinossauros como armas vivas.

Nós ainda não sabemos aonde tudo isso vai dar, embora o site viral da Masrani Global já tenha nos dado algumas dicas [leia aqui e aqui] Mas vamos ouvir do diretor de Jurassic World Colin Trevorrow sobre quais são os planos para os próximos filmes, na entrevista que o editor-chefe do Slash Film, Peter Sciretta, teve a chance de conduzir:



Peter Sciretta: Eu também ia te perguntar… Obviamente que existe, você sabe, esse é um reboot, então eles querem sequências e você já disse que não vai dirigir. Mas claro que há algumas configurações para uma sequência ou sequências… Como o estúdio ou Steven se envolveram na escolha dessas configurações? Ou como isso aconteceu com você e Derek?

Colin Trevorrow: Bom, parte do trabalho e parte do que Steven me disse para fazer foi criar algo que estabelecesse um fundamento, o qual pudesse ser expandido. E essa ideia, você sabe, eu acho que eu deveria deixar claro para os leitores do Slash Film e à todas as pessoas que leem o seu site, eu acho que quando vocês leram que eu estava escolhendo não continuar com essa franquia, vocês iriam pensar uma dessas três coisas. Ou eu fiz um mau trabalho e o filme é ruim, ou eles tiveram uma experiência ruim comigo, ou eu tive uma má experiência fazendo o filme. Nenhuma dessas coisas é verdade. Essa foi uma experiência muito positiva pra mim. Eu amei muito fazer isso. E indiscutivelmente, pelo fato de eu ter amado tanto, eu não vejo como eu poderia ter tido uma experiência melhor fazendo um filme de dinossauros. Eu não estou certo de como eu poderia fazer um filme de dinossauros que desse mais do que eu dei nesse filme.

Mas é parte de minha responsabilidade certificar-me de que não ocorram quedas de qualidade no futuro e que isso possa se expandir para algo que continue a valer a pena pelo seu nome. E assim, essa é a minha decisão, para eu não dirigir outro. Eu vou estar envolvido criativamente, mas não dirigindo, o que realmente aconteceu há muito tempo atrás. Mesmo em nossas primeiras conversas, eu senti uma responsabilidade para eu mesmo como cineasta, para fazer diferentes tipos de filmes. E não é que eu quero apenas fazer filmes pessoais e nunca fazer grandes filmes de franquia de novo, eu amo grandes filmes de franquia. Esses filmes são incríveis. Eles podem ser incríveis. Mas eu, e esta é uma opinião sincera, acho que esses filmes são muito difíceis de se fazer sequências. E nós temos visto isso. E eu acho que esta franquia seria melhor servida, utilizando o modelo de Missão: Impossível, onde você tem algo que poderia tornar-se repetitivo. E você combate isso trazendo novas vozes e eu posso pensar em vários homens e mulheres que estão por aí que poderiam fazer versões extremamente interessantes e completamente diferentes de um filme de dinossauro do que a que eu fiz.

Peter Sciretta: E quem você gostaria de ver?

Colin Trevorrow: (risos) Eu não vou falar isso.

Peter Sciretta: Não, beleza.

Colin Trevorrow: Não, parte do meu trabalho é tentar identificar alguém. Então eu já tive algumas ideias. (risos)



Peter Sciretta: Quanto aos fundamentos, há o parque em si, mas obviamente tem algumas coisas que escapam nesse filme, coisas que são espertamente plantadas para sequências. E eu gosto do fato de você não ter feito o que muitos filmes de franquias que tiveram reboot fazem, que é deixar um final que parece ser estabelecido para algo mais. Isso acontece em algo como três-quartos do filme. E então há muito mais e você acaba esquecendo disso.

Colin Trevorrow: Certo.

Peter Sciretta: Mas como isso aconteceu?

Colin Trevorrow: É um enredo um pouco trabalhado para o futuro. E isso importa, até certo ponto. Mas se não tivéssemos feito isso, você poderia facilmente criar isso. Você sabe, em um segundo filme. Então, eu acho que essa é realmente a configuração menos funcional para o futuro de tudo o que fazemos. Há temas e ideias aqui que nós estamos trabalhando, como a coexistência desses animais no planeta com seres humanos. Da mesma maneira que nós existimos com animais agora. E imaginar um mundo onde fosse como, você sabe, não vá para aquela selva, há tigres lá. Eles vão comer você. Basta substituir eles por raptores. E eu acho que nós montamos ideias aqui. Uma delas, a qual nós nos dirigimos mais foi a da utilização dos dinossauros como armas e o fato de que os animais foram utilizados em guerra durante séculos. E há pessoas com ideias completamente loucas que estão sempre indo um passo a frente, e elas se perguntarão como mais podemos utilizar uma nova tecnologia. E também neste havia uma linha no filme que eu cortei. E às vezes eu me pergunto se eu deveria ter feito isso, mas eu precisava que a cena se movesse em uma determinada maneira. Mas havia uma linha onde Doutor Wu dizia a Irrfan Khan ou B.D. Wong dizia a Irrfan Khan, "quanto tempo você acha que vai ser capaz de controlá-la? Nós não seremos sempre os únicos que podem fazer um dinossauro." E essa ideia para mim tem um grande potencial em que, como a energia nuclear, isso poderia ser uma coisa que estaria aberta a todos, e poderiam haver muitas empresas que teriam essa habilidade para criar estas coisas e usá-las para várias necessidades e propósitos. Portanto, há potencial lá. Para alguma coisa.



Para não restar absolutamente nenhuma dúvida de que Jurassic World 2 vem aí, Sciretta falou com o produtor de Jurassic World Frank Marshall no último dia 8 (antes do filme ser lançado e de toda a bilheteria bater recordes históricos). Na conversa informal, Marshall falou que justamente naquele dia estava indo almoçar com Colin e o estúdio, para falar de uma sequência.

Em uma outra entrevista recente, que vale a pena colocar aqui, Trevorrow adicionou mais ao assunto discutido na entrevista acima, chamando a atenção para o título do filme: "Eu acho que essa ideia, eu quero segurá-la, mas para mim ela é uma grande ideia, e sabe? Quando você olha para várias tecnologias, elas se tornaram acessíveis ao público e se proliferaram - e eu acho que seria um mundo… um Mundo Jurássico [em inglês, Jurassic World]. Eu mudei o título por uma razão. Não é só um nome de um parque temático, onde nós coexistimos com esses animais do mesmo jeito que nós fazemos agora com outros animais no planeta. Não vá para a floresta! Tem raptores lá! Então há todo tipo de interesse de quem pode fazer esses animais para várias necessidades e propósitos."


A entrevista de Trevorrow nos revela o caminho que ele imagina para o futuro da franquia, e é um caminho interessante. E essa ideia, de dinossauros convivendo com a nossa espécie, casa perfeitamente com aquela ideia que já foi discutida, sobre a Doença de Príons, e tudo aquilo que é bem presente no segundo livro escrito por Michael Crichton. Com os dinos convivendo com os humanos, seria possível que eles, se desenvolvessem essa doença, passassem ela aos seres humanos, e você deve imaginar onde isso acabaria.

Além disso, Trevorrow menciona "outras empresas". Em Jurassic World, nós sabemos o que aconteceu com a InGen nesses 22 anos desde os eventos de Jurassic Park. Mas e a BioSyn? Será que a empresa de Dodgson e para a qual o falecido devorado Nedry trabalhou secretamente ainda está na ativa?

O que vocês acham que vai acontecer no próximo filme? O que acham desse "Mundo Jurássico"? Deixem aí as suas ideias sobre tudo isso nos comentários!

Compartilhar no Google Plus

Sobre os autores


Victor Nunes é o fundador da rede Mundo Jurássico BR. Com 18 anos de idade, reside em Guarulhos/SP, cursa Engenharia de Produção pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e é fã de Jurassic Park desde seus 8 anos, além de curtir outras produções de cinema e televisão da cultura pop. | Facebook | Twitter

Bruno Fernando é editor do Mundo Jurássico BR desde junho de 2015. Apaixonado pelo clássico de Spielberg desde criança, conheceu o romance original de Michael Crichton na adolescência e hoje, com 18 anos, se considera um fã de cultura pop e futuro jornalista.
    Comentários do Disqus
    Comentários do Facebook

10 comentários :

  1. Leandro Martins M19 de junho de 2015 13:48

    Se a sequência for também em 3D (com certeza será), espero que eles
    caprichem mais para o efeito de profundidade ficar mais intenso. Podiam
    evitar também "planos" ângulos que deixam certos objetos desfocados,
    isso atrapalha muito a experiência 3D, fica parecendo que não foi
    filmado mas convertido em 3D...

    ResponderExcluir
  2. Leandro Martins M19 de junho de 2015 13:55

    Acho que a Byosin deveria entrar em cena e acho que eles poderiam explorar um roteiro mais profundo e incluir Iam Malcom apenas em um trecho do filme, talvez ele aparecendo em um programa de TV criticando o parque de forma mais audaciosa e semelhante as suas falas nos livros. É necessário cuidado pra explorar o tema "dinossauros usados em guerra" e dinossauros coexistindo. Mas acredito que possa sair coisa boa dessas ideias desde que se saiba aplicar isso de forma equilibrada.

    ResponderExcluir
  3. eu só espero uma coisa .Se um dia algum diretor qualquer decidir fazer um reboot/remake do JP,JP 2 the lost world pfv faça um filme mais fiel aos livros

    ResponderExcluir
  4. Eu achei o 3D de Jurassic World bem fraco. O 3D do relançamento de Jurassic Park em 2013 foi muito melhor feito e a experiência foi muito mais imersiva.

    ResponderExcluir
  5. VERDADE O Sub Titulo Caio Bem Mesmo! Eu Não Tenho Certeza Do Que Acontecera Em Jurassic World 2 Espero Que Não Seja Igual a Planeta Dos Macacos.. Aquela Doença La e Blá Blá Blá (Imagina Um Raptor Montado Num Cavalo :p)

    ResponderExcluir
  6. Se fosse ser levado pro lado belico, eu acredito qe ficaria bem legal uma coisa mais obscura. Negra mesmo! Cm grandes dinos atacando. Acho qe seria legal tbm vários Idominus armados ate os dentes. Uau!!! Imaginação à parte, deixo meus parabens ao filme e à essa pagina. Vlw mesmo!!!

    ResponderExcluir
  7. Estou muito ansiosa pra ver a possível entrada da Biosyn na próxima sequência, e como o Trevorrow deixou uma dica de que possivelmente haverá uma guerra de empresas estilo Apple x Microsoft pelo monopólio da engenharia genética, acho que essa sequência é o momento certo para uma Biosyn x InGen!

    ResponderExcluir
  8. uma boa idéia para uma sequencia seria o doutor WU se isolar na ilha sorna e lá continuar com suas experiencias até um grupo de militares ser desgnado para interrompe-lo é lá que o bicho pega ...essa idéia é bem obvia e seca mas no decorrer da trama poderia entrar outros aspectos sei lá ....

    ResponderExcluir
  9. mas tipo uma ilha sorna reestruturada operando cheia de funcionários estudando os animais soltos e criando mais em cativeiro para o parque ...e que os eventos da continuação ocorrecem tipo horas ou dias após o incidente no parque ou até simultaneamente ....

    ResponderExcluir